Sobre certos comentários relativos a este blog…

Já desde alguns dias venho notando fluxos para este blog provenientes do Orkut, em especial, de certo tópico do fórum da comunidade “Trigueirinho” (aqui). Nada de mais nisso, não fossem certos comentários lá, datados de 18/10, que buscam distorcer as informações apresentadas aqui e que poderiam convencer leitores menos avisados (aqui). Penso que chegou o momento de começar a analisar o perfil psicopatológico de certos seguidores de Trigueirinho, como sugeriu-me certa feita um comentarista deste blog. Então, como o post anterior, que tratou dos bastidores de Figueira, também este será um pouco off-topic, ou seja, não relacionado diretamente ao objetivo deste espaço virtual. A razão disso reside na importância de conhecermos melhor que espécie de gente é essa que defende Trigueirinho.

O primeiro ponto que gostaria de ressaltar é que o “crítico” lá do Orkut foi covarde, pois não teve a coragem de vir aqui expor suas críticas. Ora, se ele está tão seguro do que pensa, aqui seria o melhor lugar para se expressar, pois os futuros leitores teriam então a oportunidade de vislumbrar ideias diferentes daquelas por mim apresentadas.

O segundo ponto que me salta aos olhos é o camarada ter considerado Trigueirinho um “Servidor da Luz”, chegando a comparar as denúncias realizadas neste blog às perseguições sofridas por Cristo! Sinceramente…

Terceiro ponto: o indivíduo fez uma leitura superficial do blog. Diz por exemplo que o post “Os bastidores de Figueira” seria a primeira parte das críticas e que o post “Incoerências de Trigueirinho” seria a segunda. Nada a ver. Inclusive, este último post foi publicado antes do outro mencionado.

Quarto ponto: ocultamento de informações. Aqui, o perfil psicopatológico começa a se mostrar mais evidente. O camarada “pinça” alguns comentários mais subjetivos do post “Os bastidores de Figueira”, retirando-os do contexto em que estão inseridos (leiam o post completo aqui), e simplesmente finge não ter visto os outros…

Quinto ponto: referindo-se ao post “Incoerências de Trigueirinho – um esboço” (que pode ser lido aqui), nosso amigo diz que as contradições que mostro ali são aparentes e que eu tiro frases do contexto, analisando-as isoladamente. Gostaria então de lhe pedir, se ele realmente honra o princípio espiritual que o anima, que mostre claramente onde estão os erros ali, ou seja, qual seria o “contexto” que eu teria omitido e que permitiria interpretações diferentes.

Sexto ponto: procurando exemplificar sua equivocada posição, o sujeito diz que a última contradição que apresentei aqui na verdade não é uma contradição, e que isso seria devido ao “fato de pegar frases isoladas do contexto, e talvez por falta de compreensão mais aprofundada”. Segundo ele, na pág. 118 de “Contatos com um Monastério Intraterreno” Trigueirinho estava se referindo apenas a uma parte dos alegados mundos intraterrenos. Não sabe o imbecil que na referida página foi feita uma definição de “mundos intraterrenos”, ou seja, algo geral, que independe de contextos mais restritos. Neste caso específico, o único “contexto” importante de se mencionar é em que obra a definição está inserida, o que foi feito.

Sétimo ponto: o indivíduo continua com suas disparatas observações dizendo que as alegações de fraudes fotográficas no que tange à Trigueirinho poderiam ser consideradas análogas às acusações de céticos mágicos e ilusionistas quanto a certos fenômenos paranormais. A comparação não procede. As fraudes de Trigueirinho foram denunciadas por conceituados ufólogos (aqui), ou seja, por gente realmente interessada em validar os fenômenos. Em se tratando da tão injustamente criticada Ufologia, não haveria a menor razão para que ufólogos sérios procurassem desacreditar alegados fenômenos ufológicos com alguma possibilidade de autenticidade.

Oitavo ponto: ilustrando ainda mais sua falta de acuidade mental, o camarada do Orkut diz o seguinte: “Estas críticas me lembra de uma historinha: Um professor, diante do quadro grande e branco, fez um pequeno ponto preto no centro do quadro; distribuiu uma folha e pediu aos alunos que descrevessem o que eles viam. Praticamente todos os alunos descreveram um ponto preto no quadro branco. O professor então questionou porque nenhum deles falou que existia um grande quadro branco com um pequeno ponto preto em seu centro”. E conclui dizendo que “fixamos, geralmente nos pontos pretos da deficiência e não percebemos o branco das qualidades”. Bem, não é este o caso aqui. Se o “orkuteiro” tivesse se dado ao trabalho de ler com atenção tudo o que se encontra neste blog, veria que, tanto de minha parte como da parte de alguns comentaristas que também não se coadunam com a “filosofia” de Trigueirinho, houve uma preocupação em ressaltar que há coisas positivas em Figueira e nos livros e palestras do dito cujo. Curiosamente, a historieta relatada se aplica muito bem ao crítico, isso sim, pois, fanático que é, só enxergou “pontos pretos” neste blog…

Nono ponto: o indivíduo diz que com pessoas que demonstram paz, equilíbrio, entrega, etc., não podem estar também as trevas da mentira, do interesse próprio, etc. Erro crasso! O ser humano é muito contraditório. Luz e sombra podem permeá-lo sem que uma ou outra consigam firmar-se por definitivo.

Décimo ponto: o camarada diz que “Figueira representa um exemplo de disciplina espiritual e entrega árdua e sincera ao Plano Maior” e que “há um grupo de seres lá que impulsionam a energia evolutiva e que são os primeiros a exemplificarem a moral elevada”. Bem, qualquer um pode afirmar o que quer que seja. Neste caso específico, acredite quem quiser…

Décimo-primeiro ponto: o sujeito diz que frutos saudáveis, saborosos e nutritivos não podem vir de uma árvore doente. Errado! Certa feita conheci uma macieira toda corroída por brocas que dava frutos saborosíssimos!… Pediríamos ao nosso amigo que vá estudar um pouco de Botânica.

Décimo-segundo ponto: o indivíduo termina seus comentários com a seguinte frase de Morya: “Como se pode ver os fogos quando o olho busca uma ruga na face do vizinho?”. Terminemos então também com Morya: “A observação cuidadosa é um passo em direção à Justiça … Obscuros chifres crescem nos de raciocínios falsos”.

Anúncios

Tags: , ,

18 Respostas to “Sobre certos comentários relativos a este blog…”

  1. Vinícius Says:

    Caro admin:
    Como vai?
    O tipo de crença que ocorre em Figueira, assim como em vários grupos espirituais e em várias religiões (será que em todas??), faz parte da infância do homem. Somos impulsionados à crendice pelo medo do desconhecido, da morte, da insignificância do ser humano se observado a partir de um ângulo macroscópico. Ocorre que a grande maioria não tem maturidade suficiente para deixar de acreditar em Papai Noel e seguir com sua vida da melhor forma possível, com coragem e dignidade, sabendo que mais cedo ou mais tarde já não mais existirá. É um prato muito indigesto para as mentes fracas, como a do orkuteiro.
    Abraço.

    • Admin Says:

      Vou caminhando…
      Há muitas crenças envolvidas no sistema “Figueira”. Algumas são boas (e penso que espelham a realidade), outras nem tanto, e outras ainda não passam de fantasias.
      Discordo de você em relação à sua afirmação de que a crença na persistência de nossa individualidade após a morte do corpo físico seja “imaturidade” ou fruto de “mentes fracas”. Sou dos que consideram que a sobrevivência da alma já foi demonstrada à exaustão. Podemos continuar este assunto de forma particular, se lhe aprouver.
      Abraço.

      • Vinícius Says:

        Caro admin,
        Nenhum problema em discordar de minha opinião. Acho muito salutar. Aliás esse princípio está na base da verdadeira ciência: “TODA REALIDADE É PROVISÓRIA E PASSÍVEL DE MUDANÇAS NO DECORRER DO TEMPO”… Veja o caso recente de algumas teorias de Einstein sendo refutadas por cientistas contemporâneos. Carl Sagan dizia que os mistérios com os quais a ciência moderna se depara são tão grandes e assombrosos que por si só bastariam para aplacar nossa sede pelo desconhecido e fazerem os mistérios da espiritualidade parecerem meras trivialidades. (ESTOU REPRODUZINDO LIVREMENTE AQUI). O problema é que para os ESPIRITUALISTAS FUNDAMENTALISTAS o melhor não é elucidar o que quer que seja mas sim colocar tudo em um patamar sobrehumano e inatingível. Nunca estamos no patamar da verdade que é apresentada. Vivemos sob a égide do pecado original… Há uma inferiorizaçao patológica do ser humano que francamente me revira o estômago. Somos frutos de poeira estelar e de bilhões de anos de evolução. Quer maravilha maior??? Agora, sobre vida após a morte acho que é um tema em aberto mas que tem que ser cautelosamente estudado. No processo científico, porém, as evidências empíricas estão entre as que mais demandam cuidados e verificação imparcial. O que pode ser verdade para 1 tem que o ser para 1 bilhão. Mas confesso que gostei do approach do filme Nosso Lar. É bem Guerra nas Estrelas. Se for morar lá depois de esticar as canelas acharei bem legal, apesar da sopinha aguada que eles servem lá!!!
        Abraço.

        • Admin Says:

          A realidade provisória é a realidade científica. Infelizmente, este é um dos vícios do pensamento social moderno e contemporâneo: acreditar que ela represente toda a realidade.
          O que é fruto de poeira estelar são nossos corpos físicos, mas somos mais que isso…
          Como já disse anteriormente, podemos continuar este assunto, mas de forma particular. Aqui não é um espaço adequado para discuti-lo.
          Abraço.

  2. Reinaldo Gomes Says:

    Achei pertinente a questão do quadro negro, embora a interpretação do referido orkuteiro tenha sido bastante tosca…
    Em se tratando de Espiritualidade, de responsabilidade em se guiar pessoas, a existência de um ponto preto no quadro branco faz toda a diferença, pois este pequeno ponto negro pode comprometer e desviar o caminho de todas as consciências envolvidas, o que é exatamente o caso do Sr. Trigueirinho, que um dia haverá de responder pelo que está fazendo.
    Infelizmente, estas pessoas perderam o discernimento, só porque existe o rótulo de bem, só porque o ponto negro está escrito num quadro branco, o ponto negro passou a ser ignorado.
    Será que eles pensam que o mal hoje em dia, querendo confundir e desviar, viria com trajes malignos? Claro que não, o mal hoje em dia está tão camuflado, tão sedutoramente envolvido em mantos santos, que já não pode ser percebido por aqueles que estão carentes de alguém que os guie.
    Infelizmente… este é o ponto em que chegamos.

    • Ricardo Martins de Almeida Says:

      Será que eles pensam que o mal hoje em dia, querendo confundir e desviar, viria com trajes malignos? Claro que não, o mal hoje em dia está tão camuflado, tão sedutoramente envolvido em mantos santos, que já não pode ser percebido por aqueles que estão carentes de alguém que os guie.

      .

      Bem colocado; o mal está disfarçado nas aparencias, e quando vou a Figueira procuro ver somente o lado bom nas pessoas dela; embora seje tentado a críticas do ego (intelecto), sei que posso transmutar o ambiente pesado de alguns residentes que lá moram há um bom tempo; muitos não suportam isso, as pessoas de muito “ego”, mal resolvidas, que usam o lugar como muleta emocional, mas isso é próprio da TERCEIRA DIMENSÃO; nem todos lá são anjos e vivem 100 por cento em glória a DEUS, como Trigueirinho fala e falava de seus seguidores desde o surgimento do grupo com Sara Marriot, em Nazaré Paulista. Muita PAZ!

  3. Jorge Santofer Says:

    Não conheço a Figueira nem conheço Trigueirinho, mas fui induzido a visitar este blogue pelo título do mesmo.
    Gostaria de conhecer a opinião do blogueiro acerca das idéias transmitidas nos livros de Trigueirinho e não sobre a sua vida e obra terrena (Figueira).
    Estou começando a leitura da sua obra e não tenho nenhuma opinião formada ainda, mas se discutirem aqui a sua doutrina certamente que voltarei para dar a minha opinião.
    Julgo que a insuficiência das pessoas seguidoras e da personalidade do autor não significa nada sobre aquilo que possa constar na sua doutrina.
    PAZ!

    • Admin Says:

      Algumas das ideias transmitidas nos livros de Trigueirinho são proveitosas, outras nem tanto, e algumas ainda não passam de fantasias ou simples mentiras mesmo.
      Um dos objetivos iniciais deste blog era justamente o de dar à publicidade análises críticas sobre alguns dos livros de Trigueirinho, o que cheguei a fazer de forma manuscrita no que diz respeito a algumas daquelas suas obras em que a fraude já vinha estampada na própria capa (ERKS, Miz Tli Tlan e Aurora), mas ainda não encontrei o devido “tempo” para digitar tudo e publicar aqui, e confesso que não estou devidamente motivado para tanto, pois tenho coisas que considero muito mais importantes a fazer.
      Um abraço.
      P.S.: De fato, a insuficiência mental dos seguidores de Trigueirinho não implica em coisa alguma sobre a “doutrina” dele, mas não podemos dizer o mesmo quanto à sua personalidade, pois, queiramos ou não, toda ação humana no plano terreno é influenciada pela personalidade daquele que age.

    • Admin Says:

      Apenas para complementar: não sei exatamente o que o senhor quer dizer com “doutrina de Trigueirinho”, mas, de qualquer forma, “doutrina” pressupõe algo coeso, coerente, e a obra de Trigueirinho, infelizmente, não satisfaz este critério, conforme ilustramos levemente aqui.

      • Jorge Santofer Says:

        Conforme disse iniciei recentemente (há 3 ou 4 dias) a leitura dos livros de Trigueirinho e, embora tenha percebido que se baseia na Sabedoria Tradicional do Oriente, não posso ter ainda uma opinião abalizada sobre a “doutrina de Trigueirinho”, ou seja sobre a doutrina defendida por ele, entendendo por doutrina, o conjunto de princípios em que se baseia a sua religião ou seu sistema filosófico.
        Se não receber um sinal em contrário, voltarei aqui para manifestar a minha opinião. Caso ache que não interessa para você ou alguém que siga este blogue, agradeço que me diga logo e me afastarei sem problema algum. Sou uma pessoa neutra nesta questão sobre o Trigueirinho, mas como sou um estudioso das ciências esotéricas e da problemática religiosa.
        Cordialmente.

        • Admin Says:

          Há um problema de princípios que o senhor parece não ter percebido ainda, talvez justamente por ter iniciado há muito pouco tempo o estudo dos livros de Trigueirinho. A questão é: existe uma religião ou sistema filosófico que emerja dos referidos livros? Se queres falar em “doutrina” no sentido formal, é crucial que esta pergunta seja respondida afirmativamente. Mas o que posso lhe dizer, baseado em estudos que realizei de livros das diversas fases “literárias” de Trigueirinho, é que a resposta é negativa. Ou seja, a obra de Trigueirinho não subsidia um sistema filosófico, muito menos uma religião. Diz-se algo aqui, e logo desdiz-se ali… É uma “colcha de retalhos” sem qualquer unidade doutrinal (condição sine qua non de qualquer religião ou sistema filosófico autêntico).
          Quanto aos comentários neste blog, esclareço-lhe que, como já avisado na abertura das seções específicas para isso, eles devem se ater ao assunto das postagens, ou então a outros comentários já realizados (quando algo puder, de fato, ser acrescentado ao que estiver sendo dito, ou quando alguma correção se fizer necessária). Caso contrário, a melhor opção é entrar em contato particular comigo, através do campo adequado para este fim (aqui).
          Cordialmente,
          Admin.

    • Mauricio Says:

      Mais uma vítima caindo na arapuca…

      • Jorge Santofer Says:

        Você é vitima por que julga, eu não. Vivo na total independência de pensamento e não estou dependente das opiniões alheias ou do sistema emocional e mental existente presentemente.
        Ultrapassei, há algum tempo, a obscuridade que impede de ver. Sou Livre!

        • Jonas Says:

          Você se “julga” livre e estuda esoterismo e, pior, se interessou pela obra do Trigueirinho? Pois eu lhe digo que se você realmente estivesse no ponto em que pensa estar, se fosse realmente livre (e independente de opiniões alheias), nem sequer se interessaria por nada disso. Apenas, como muitos, está numa fase de, entre outras coisas, não suportação dos embates mentais coletivos, e “tenta” se colocar acima de tudo como uma forma de fuga… O ponto em que se coloca é de seres que sequer cogitam de estarem encarnados nesse mundo e digitando no teclado de um “computador”, rsrsrs
          Livre? Encarnado? E ainda por cima num planeta de expiações e provas? Num corpo e psiquismo projetados geneticamente pra ser escravo e serviçal de raças mais evoluídas? Amigo, pra quem se diz desimpedido de ver, você ainda está muito aquém de perceber a realidade na qual está inserido…

        • Jorge Santofer Says:

          Eu sou o que sou! Se eu estudo esoterismo e me interessei ( agora já não) pela obra de Trigueirinho? Eu estudo Filosofia, Teosofia, Medicina, Física Quântica e Nuclear, Matemática, Economia, Futebol, assisto a novelas, leio jornais e assisto aos telejornais, brinco com cachorros, etc.. E daí? Por isso, não sou livre, no sentido que dou de “estar no Mundo, mas não ser do Mundo”?
          Não pretendo entrar em discussão consigo, pois me parece que não irá levar a lada nenhum. Eu não creio nessas teses de conspirações de raças mais evoluídas. Se são mais evoluídas (eu sei que existem), não têm escravos e servos, como vc disse. Eu, pelo menos, não sou.
          A Mente é a essência última de tudo.

  4. Jonas Says:

    Mas, amigo, você não parece, sequer, ter entendido o que eu tentei dizer.

    Isso. Você gosta do que todo mundo gosta e faz o que todo mundo faz. Nesse sentido todos podem ser livres a qualquer momento que queiram. É apenas uma tênue questão de mais ou menos apego às coisas “ditas” materiais. O problema é que na realidade não existe essa separação/fronteira discriminatória e preconceituosa entre o que se diz, ser matéria (mundo) e realidade espiritual ou como quer que chamem. Tudo na criação é obra do pensamento.
    Agora, ser livre no sentido de estar psicologicamente acima das ditas ilusões/projeções/condicionamentos deste e de outros mundos (pois existem muitos em muitos níveis e dimensões) já é algo muito além da condição de qualquer ser encarnado aqui.
    Essa frase “estar no mundo sem ser do mundo” é apenas um bordão medíocre dos pretensiosos que se deleitam na ilusão de acharem-se acima da média de evolução de seus irmãos de caminho. Apenas isso, uma mera ilusão. Insuflada por manipuladores religiosos e cia. para enaltecer os egos de seus lacaios e induzir neles a ambição espiritual. Os supostos nobres e elevados ideias “espirituais” que eles incutem nas mentes de seus seguidores são, na realidade, tão medíocres e mesquinhos como qualquer outra ambição vulgar. Apenas mudança de roupagem…

    Só pelo simples fato de você afirmar veementemente que não acredita em alguma coisa já demonstra que está na mesma média de percepção comum da grande maioria…
    Ser mais “evoluído” não quer dizer, necessariamente, mais “avançado” na prática dos conceitos éticos e morais convencionados por nós aqui desse orbe. Nada a ver um coisa a outra. Muito acanhada essa visão…
    Seja lá o que você estudou até agora, vê-se que não foi nem 1% do que você precisaria estudar pra enxergar as coisa de uma forma mais ampla e universal, meu amigo.

    Discussão não vai haver mesmo, pois não estou aqui pra convencer ninguém de nada. Apenas para deixar registrado aqui mais um ponto de vista para quem possa tirar algum proveito dele. Só isso.

    E, sim, a Mente é a essência primeva de tudo. Mas, por suas palavras, parece que apenas repete isso sem que tenha realmente começado e entender o que isso significa…

    • Jorge Santofer Says:

      Desde o inicio desta conversa tenho sido o mais correto consigo, ao contrário de você que só sabe colocar-se num falso pedestal e julgar-me néscio e ignorante.
      Entendi todas as asneiras que você disse. Muitíssimo mais do que você pensa ou julga com uma arrogância atroz.
      Não conseguiu compreender que eu respondi ao seu primeiro comentário com ironia.
      Fique sabendo que não gosto de futebol e muito menos de novelas e outras coisas que você diz que “todo mundo gosta e faz”.
      É surpreendente como uma pessoa que lê umas coisinhas se torna tão pretensioso e se julga acima dos outros e chega ao cúmulo de criticar, interpretando erradamente, uma frase do Mestre Jesus Bem Pandira. Que tenho eu a ver com esses “manipuladores religiosos”? Não sou religioso, nem de acordo com nenhuma religião existente!
      Os seus comentários são reveladores de uma pessoa insegura e que oscila lamentavelmente entre doutrinas e crenças contraditórias. Mas o que é pior, procura se auto-defender atacando os outros, pois julga-se sui generis e detentor da verdade.
      Mas que proveito pode alguém tirar da sua conversa, que é destruidora e ininteligente?
      Você ate deturpa aquilo que eu escrevi. Onde é que eu “afirmei veementemente que não acredito em alguma coisa”? E onde falei em evolução? Você é que falou em raças mais evoluídas.
      Eu afirmei que a discussão consigo não iria levar a lado nenhum porque vi logo de inicio que você é preconceituoso, de ideias fixas, arrogante e auto-convencido. Digo isto porque acho que você apenas repete o que lê sem que tenha realmente começado e entender o seu significado.
      Também acho que toda a afirmação de qualquer coisa equivale, por causa da limitação da linguagem, a excluir alguma coisa de outra.
      Nada existe senão a Mente. A matéria e o Espírito são profundamente a mesma substância. A ilusão e a realidade são apenas brinquedos intelectuais dados ao principiante. O dualismo existe somente para o ignorante. Não há senão o Único! Quando reconhecemos que o real é contíguo à aparência e que esta não é mais que sua encarnação e compreendemos que este vasto universo é uma apresentação pela Mente à Mente, a tendência a desprezar a carne e a desertar do mundo, nos abandona. É isto “estar no Mundo, mas não ser do Mundo”.
      Eu sou um ser espiritual (sou espírito) e não material. Estou livre da concepção física e densa das coisas. Não preciso de desencarnar ou viver noutro local, como você pensa.
      A Mente não é a essência primeva de tudo.
      O Espírito Cósmico é imanente em todo o Universo. A matéria é uma simples criação verbal e a energia unicamente uma atividade do Espírito.
      PAZ A TODOS OS SERES!

    • Julia Says:

      Melhor não discutir com “seres iluminados”, Jonas… Talvez Figueira caia bem a este senhor.

Deixe um comentário! (Atenção: se estiver fora de contexto ou buscar atingir simplesmente a pessoa do administrador do blog ou outros comentaristas, sem se ater às postagens ou aos comentários propriamente ditos, não será publicado.)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: